logo

A SEGUIR

"Sementes da Nossa Terra"

13:00:00 - 15:00:00

"A Hora da Misericórdia"

15:00:00 - 15:30:00

Servidores passam a noite no plenário da Alep e aguardam nova proposta do Governo

Os servidores estaduais passaram a noite acampados nas galerias do plenário da Assembleia Legislativa do Paraná e dizem que só desocuparão o local após nova proposta de reajuste a ser apresentada pelo governo. estadual. A invasão aconteceu no final da sessão desta terça-feira (9). Uma nova sessão está marcada para hoje (10) , às 9 horas,  a última antes do início do recesso parlamentar de julho, mas não há confirmação se irá acontecer ou não. Uma comissão de parlamentares deve se reunir com representantes do governo para buscar um acordo.

De acordo com Elizandra Goulart, da APP-Sindicato, a noite foi tranquila dentro da Alep. “Não temos previsão para sair. Estamos aguardando a nova proposta do governo e aguardando que haja bom senso do governador Ratinho Junior. A noite foi tranquila, todos dormiram quentinhos lá dentro e os policiais militares só acompanharam nosso movimento. sabemos que eles não podem fazer greve, mas eles sabem do motivo da nossa luta. Eles também estão há três anos sem reajuste”, afirmou..

A categoria, em greve há 15 dias, realizou nesta terça-feira (9), antes de ocupar a Assembleia, um ato com cerca de 10 mil pessoas, boa parte vinda do Interior do Estado em caravanas organizadas por sindicatos. Dentro da Alep, eles lotaram as galerias, gritaram palavras de ordem e chegaram a interromper a sessão ordinária por cerca de cinco minutos.

Segundo os servidores, a decisão pelo movimento se deu após uma fala do deputado Ricardo Arruda (PSL), que foi considerada desrespeitosa pelo funcionalismo.

De acordo com Nádia Brixner, que integra a direção da APP-Sindicato, Arruda afrontou toda a categoria. “Infelizmente, mais uma vez o deputado Missionário Arruda afronta toda a nossa categoria. Ele nos desrespeitou dizendo que nós estamos mentindo, que estaríamos apresentando números falsos e que todos nós tivemos aumentos salarias em 33%. Isso é uma grande mentira”, disse ela.

O professor Edinei França, 38 anos, que veio da cidade de Capanema para acompanhar a sessão, também ficou indignado com as acusações do deputado do PSL. “O deputado pediu para gente mostrar nossos holerites e aí o pessoal ficou revoltado com ele. Não tenho nem palavras para mostrar minha indignação, uma pessoa que foi eleita para nos representar tratar todos com tanto descaso. Ele foi muito infeliz”, afirmou França que não tem horário para deixar a Assembleia.

A Polícia Militar acompanha toda a movimentação dos servidores.

Reajuste

Na segunda-feira (8), o presidente da Alep, deputado Ademar Traiano (PSDB), afirmou que a proposta do governo, de 5,09% em quatro etapas até 2022, será discutida somente após o recesso parlamentar, em agosto.  A categoria reivindica o pagamento de 4,94% referente à inflação dos últimos 12 meses e negociação dos atrasados.

Em nota, a Alep informou que a sessão transcorreu conforme o previsto e que os projetos da ordem do dia foram votados “sem qualquer prejuízo”.

“Depois de encerrada a sessão, os manifestantes decidiram permanecer nas galerias para aguardar o resultado de uma reunião que acontece na sede de Poder Executivo para debater a reposição salarial dos servidores”, diz a nota.

O Governo do Paraná informou que mantém a proposta que vem sendo negociada com os servidores, resultado das reuniões dos últimos dias, de fazer uma antecipação de 2% em janeiro de 2020.

 
Topo