Ao vivo

Retratos e Canções

20:30 até as 22:00

a seguir:

com

até as

Notícias

“Não iria debater com Lula de jeito nenhum”, diz Bolsonaro

15/10/18 13:10

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou neste domingo (14) que o mais certo seria que os debates de segundo turno fossem entre ele e o ex-presidente Luiz Inácio lula da Silva (PT), no lugar do candidato do PT, Fernando Haddad. Mesmo assim, disse que “não iria debater com Lula de jeito nenhum”.

“Querem que eu compareça a um debate de qualquer maneira, mas eu dependo de uma avaliação médica. Agora, eu vou debater com ele, Haddad? Por que não tiram o Lula da cadeia para debater comigo? Se bem que eu não iria debater com Lula de jeito nenhum. Mas o mais certo é o Lula, porque quem vai formar ministério é o Lula”, disse Bolsonaro, em transmissão de vídeo ao vivo pelo Facebook.

Preso desde abril pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá, Lula foi o candidato do PT até o início de setembro, quando teve sua candidatura impedida pela Justiça Eleitoral, em razão da Lei da Ficha Limpa, que proíbe condenados em segunda instância de serem candidatos. Haddad assumiu a chapa logo em seguida.

Confiante na vitória no segundo turno, o candidato do PSL afirmou que é “quase impossível” perder a disputa. “Vamos mudar o Brasil, não teremos outra oportunidade”, disse o capitão da reserva. Na primeira pesquisa de intenção de voto feito pelo Datafolha após o primeiro turno, Bolsonaro apareceu com 58% dos votos válidos, enquanto Haddad teve 42%. Uma pesquisa Ibope é esperada para amanhã.

Na transmissão ao vivo pelo Facebook, Bolsonaro voltou a cometer um ato falho em relação à facada que levou em Juiz Fora, Minas Gerais, durante campanha no primeiro turno. Assim como havia dito em entrevista à CBN na quinta-feira (11), o candidato disse que foi “vítima do que prega”. Depois, se explicou e afirmou que foi vítima da violência que combate.

O ato falho ocorreu enquanto Bolsonaro criticava Guilherme Boulos, candidato do PSOL à Presidência no primeiro turno e líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que insinuou que o MTST ocuparia a casa do Bolsonaro, por considerá-la improdutiva.

“Logo eles que dizem que eu que sou violento. Eles sempre se vitimizam. Eu não prego a violência, eu prego a não violência. Eu fui vítima daquilo que prego, a não violência”, disse em um primeiro momento. “Só para deixar bem claro, eu sou vítima do que eu combato. Eu combato a violência e fui vítima desse combate à violência, eu sofri um ato de violência”, afirmou em seguida, após ter sido corrigido por alguém da equipe dele.

Bolsonaro, inclusive, reforçou que, se eleito, vai tipificar como terrorismo a invasão de propriedades, urbanas ou rurais.

Em um ataque a Haddad, o candidato do PSL recorreu a trechos de obras acadêmicas do seu adversário para argumentar que quem representa risco à democracia é o petista e não ele. “Na tese de mestrado dele, ele fala do caráter socioeconômico do sistema soviético. Olha pelo que ele se interessa”, disse.

“E o orientador foi Paulo Arantes, que é um filósofo, importante pensador marxista. E tem gente que acredita que esse cara Haddad é democrata. É o fim da picada. E vão continuar falando que eu sou risco à democracia e não ele”, afirmou.


Por: João Luiz Garcia (Tiguera)
Fonte: Estadão
Foto: reprodução/Facebook




› Voltar

› Veja todas as noticias

PARCEIROS

PREVISÃO DO TEMPO

PROGRAMAÇÃO DO DIA

  • › 06:00 às 07:00 - Encontro de Gerações
  • › 07:00 às 08:30 - Ricordi d´Itália
  • › 08:30 às 09:30 - Santa Missa da Matriz São Roque
  • › 09:30 às 12:00 - Pallotti no Interior
  • › 12:00 às 13:00 - Rádio Saudade
  • › 13:00 às 14:30 - Mistura Brasileira
  • › 14:30 às 15:30 - Músical Especial
  • › 15:30 às 18:30 - Transmissão de Futebol
  • › 18:00 às 18:05 - Oração da Manhã
  • › 18:30 às 20:30 - Cultivando a Tradição
  • › 20:30 às 22:00 - Retratos e Canções
  • › Veja toda a nossa programação