logo

A SEGUIR

"Bom Dia Cidade"

08:00:00 - 10:00:00

"Experiência de Deus"

10:00:00 - 11:00:00

Boletim registra mais 23,3 mil casos confirmados de dengue

O Paraná enfrenta um dos momentos mais críticos em relação à dengue, com 44.985 novas notificações e 23.396 casos confirmados em apenas uma semana. Desde 30 de julho do ano passado, o estado acumula impressionantes 351.325 notificações, 159.357 casos confirmados e 77 mortes devido à doença. Esta situação alarmante evidencia a necessidade urgente de ações efetivas para combater a epidemia.

A recente atualização da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) destaca a grave situação da dengue no Paraná. Com todos os 399 municípios do estado reportando notificações, a doença demonstra sua vasta disseminação e o risco iminente que representa para a saúde pública.

Municípios Afetados pela dengue

Apesar da vasta propagação, 10 cidades permanecem sem casos confirmados, o que demonstra uma disparidade regional na eficácia das medidas de controle da dengue. Esta situação ressalta a necessidade de uma abordagem unificada e mais robusta para o combate à doença em todo o estado.

A Comparação com Anos Anteriores

A análise comparativa dos dados revela um aumento significativo no número de casos e mortes por dengue, indicando uma escalada preocupante da epidemia e a necessidade de reavaliação e intensificação das estratégias de prevenção e controle.

O documento da Sesa também apresenta um comparativo dos registros realizados na semana epidemiológica 31 a 13 desde 2019 (os boletins começam na semana 31 de cada ano). No período 2019/2020, por exemplo, nesta mesma semana o Paraná apresentava 204.807 notificações, 87.900 casos confirmados e 69 óbitos. Comparado com os dados atuais, o aumento foi de 71,53% em notificações, 81,29% em casos confirmados e 11,59% em óbitos. Em relação a 2022/2023, com 14.032 casos confirmados e 12 óbitos, os aumentos são de 1.035% e 541%

Chikungunya e Zika Vírus

Além da dengue, o Paraná enfrenta o desafio de lidar com outras doenças transmitidas pelo mesmo vetor, como a chikungunya e o zika vírus. A vigilância e prevenção dessas doenças são cruciais para evitar um cenário ainda mais complexo de saúde pública.

A resposta do Paraná à epidemia de dengue inclui esforços contínuos de vigilância, prevenção e controle. A atuação das equipes municipais de saúde e a importância da participação comunitária são fundamentais para reverter o cenário atual.

 

Topo