logo

A SEGUIR

"Universo Sertanejo"

13:30:00 - 15:30:00

"Super Paradão Sertanejo"

15:30:00 - 17:00:00

Delegacia da Mulher registra aumento nos casos de violência doméstica

Inaugurada em 2015, a Delegacia da Mulher de Francisco Beltrão, vem realizando desde então um excelente trabalho no município. Combatendo de forma sistemática os crimes de violência contra a mulher, crimes que não podem ser tratados da mesma maneira que as outras modalidades, pois têm aspectos sociais, psicológicos e periciais que precisam ser tratados em um ambiente específico, com uma equipe especializada.

Em entrevista a Rádio Onda Sul FM, no último sábado (10), a Delegada titular da Delegacia da Mulher de Francisco Beltrão, Emanuele Baggio, falou sobre o trabalho prestado pela delegacia e o aumento na demanda dos casos. “A delegacia da mulher atende casos de violência doméstica, familiar ou em uma relação íntima de afeto, cuja vítima seja mulher. O agressor não tem relevância, pode ser tanto homem quanto mulher, mas a vítima necessariamente deve ser mulher e deve ser durante uma relação íntima de afeto, doméstica ou familiar. Travestis e transsexuais são atendidos normalmente na delegacia da mulher, caso já tenham alteração do nome civil. Todo ano nós sentimos um aumento na demanda, algo em torno de 20% de um ano para o outro, isso demostra a necessidade da nossa delegacia”. Segundo ela, esse aumento se deve a boa divulgação dos trabalhos, levando as mulheres a se sentirem mais seguras e corajosas para procurar a delegacia e não por conta do aumentos dos casos efetivamente.

Ainda segundo a delegada, os casos mais comuns, no município, são os crimes de lesão corporal, ameaça e injúria. “Esses crimes representa talvez, uns 80% do nosso trabalho. Atendemos também crimes de violência sexual e os crimes de maior gravidade que são os de feminicídio”.

A delegada afirma que ao procurar a delegacia, a mulher terá todo o suporte necessário. “A gente informa sobre as medidas protetivas que ela pode requerer, oferecemos acompanhamento até a residência para retirar os seus pertences, caso ela não queira permanecer lá. Além disso, temos os parceiros que nos ajudam com a parte psicológica, assistência social e jurídica, referente a divórcio, guarda de filhos e divisão de bens. Então ela recebe apoio em vários âmbitos, não só no criminal que é onde a delegacia efetivamente atua”.

Topo