logo

A SEGUIR

"RVP Notícias 2ª Edição"

12:05:00 - 12:30:00

"Destaques Esportivos"

12:30:00 - 13:00:00

Pequenas cooperativas são capacitadas para melhorar gestão

O Instituto Emater e a União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) estão capacitando cerca de 160 dirigentes de pequenas cooperativas de produção para que elas avancem na profissionalização e gestão de suas instituições, com o objetivo de melhorar e ampliar o atendimento ao associado.

São ministrados quatro cursos, com aulas nas regiões Sudoeste, Oeste, Norte e Região Metropolitana de Curitiba. As cooperativas atendidas representam 16 mil agricultores familiares em todo o Estado.

A realização desses cursos, do Programa de Educação do Cooperativismo Solidário (Pecsol), é resultado de parceria firmada entre a Emater e Unicafes para capacitação conjunta. Pela Emater, estão sendo capacitados dirigentes de 70 instituições e pela Unicafes gestores de outras 90 cooperativas.

Nesta terça-feira (08), em Curitiba, aconteceu a segunda etapa do curso, que contou com 14 cooperativas, com dois a três dirigentes de cada. O principal assunto abordado foi a contabilidade. Na primeira etapa o tema discutido foi o histórico e princípios do cooperativismo no Paraná.

APOIO - Os cursos são uma das ações do Coopera Paraná - Programa de Apoio ao Cooperativismo da Agricultura Familiar, da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. O objetivo é fortalecer as organizações cooperativas como instrumentos para melhorar a competitividade e a renda dos agricultores familiares.

A intenção é capacitar os dirigentes nas gestões financeira, administrativa e ambiental, conforme preconiza o programa de cooperativas do governo federal Mais Gestão. “A ideia é repassar conhecimento nas áreas administrativa, financeira e de logística para profissionalizar a gestão das cooperativas”, disse o coordenador de Organização Rural da Emater, Sergio Auffinger.

De acordo com ele, através desses cursos os dirigentes têm a oportunidade de trocar experiências e conhecer o que outras organizações estão fazendo. Essa cooperação, muitas vezes, representa a solução para os problemas dessas organizações, acrescentou. “Neste curso, por exemplo, os dirigentes vão sair daqui com o conhecimento de mais 13 ou 14 cooperativas”, disse Auffinger.

Ele reforçou que a capacitação vai permitir aos participantes saírem mais preparados na busca de outros mercados, para agregar valor em conjunto, e ainda, enxergando o produto dos outros e melhorando o próprio. “Assim eles já começam a gestão preocupados com a qualidade dos produtos e profissionalismo na gestão”, reforçou.

DIFICULDADES - Segundo o assessor da Unicafes, Odilio Constantino, muitas cooperativas têm dificuldades de gestão porque seus dirigentes se dedicam mais ao cuidado de suas propriedades e não à administração da organização. “Mas isso acontece por falta de conhecimento. Aqui eles aprendem a desenvolver a gestão e a gerir melhor para atender efetivamente às necessidades do associado”, disse.

Para Constantino, o presidente da cooperativa também é gestor, e essa é a dificuldade atual. “A lógica do gestor é organizar as vendas, administrar o mercado e a logística para o escoamento da produção”, observou.

Segundo Gerson Bueno, coordenador do programa Mais Gestão pela Agência de Desenvolvimento Regional do Extremo Oeste do Paraná (Adeop), a maioria das cooperativas de agricultura familiar trabalham com foco no atendimento ao programa de merenda escolar do governo federal, o PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar. A Adeop é a empresa de assistência técnica que venceu o edital público da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural no Paraná (Anater), outra entidade envolvida na organização dos cursos de capacitação,

“Acontece que essas vendas não são feitas o ano inteiro por causa das férias escolares, o que provoca um vácuo na geração de renda aos agricultores familiares. Nos cursos, os dirigentes vão aprender a avançar na busca de novos clientes para seus produtos, como as grandes redes de supermercados”, explicou Bueno.

Esse será o tema do próximo curso, no final de Outubro. Segundo Bueno, as cooperativas precisam viabilizar novos mercados para seus associados, fazendo com que o carro-chefe de vendas esteja na participação de outros mercados, sem ficarem focados nos mercados institucionais.

Auffinger explicou que os cursos de capacitação de dirigentes das organizações de cooperativas de economia solidária seguem uma metodologia aprovada em âmbito nacional. Também foi firmada uma parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), que certifica os cursos na categoria extensão. Os frequentadores que comprovarem 80% de presença receberão certificado da universidade.

Topo