logo

A SEGUIR

"Rádio Saudade"

12:00:00 - 13:00:00

"Mistura Brasileira"

13:00:00 - 14:30:00

Igreja Católica inicia Tempo Ordinário ou Comum, tempo da Missão

Encerrou neste domingo (31) de maio, o Tempo Pascal vivido pela Igreja Católica, os 50 dias pós Páscoa, de preparação e espera pela vinda do Espírito Santo, Pentecostes. O Bispo diocesano Dom Edgar Xavier Ertl, esteve celebrando a Vigília de Pentecostes na noite de sábado (30), na Catedral do Senhor Bom Jesus da Coluna. Pentecostes, é a terceira grande festa do catolicismo, como Natal e Páscoa.

Em sua catequese, Dom Edgar, salienta que todos os acontecimentos e solenidades da igreja precisam ser solenizadas, ter um modo diferente de celebra-las. O Pentecostes, que significa o nascimento da igreja, onde o Cristo ressuscitado foi preparando os discípulos para um novo tempo, o da missionaridade da igreja. Do Cenáculo de Pentecostes, onde estavam reunidos em oração e Fé, Maria Santíssima e os discípulos, e saíram de Jerusalém para o mundo anunciando Jesus ressuscitado.

Neste mesmo período se inicia também o Tempo Ordinário ou Tempo Comum, o tempo do discipulado, os principais fatos da vida de Jesus já aconteceram, e agora a igreja passa a viver a sua missão. “Nós recebemos o Espírito Santo não para um elevo espiritual pessoal, mais para colocá-lo a serviço e a disposição da comunidade, vivendo a vida de Cristo e a vida da igreja. Essa que é a beleza do Cristianismo e de crermos em Deus”, destaca Dom Edgar.

Mas, como fazer com que no Tempo Comum não caiamos em tempo de rotina? Primeiramente, devemos alimentar nossa vida naquela fonte rica dos tempos fortes que celebramos. Cristo quer encarnar-se cada dia através dos tempos. Outra maneira de valorizar e superar a rotina do Tempo Comum é encontrar o extraordinário no comum. Como no Ano Litúrgico, em nossa vida nem sempre existem grandes acontecimentos. Importa aproveitarmos as menores coisas para aí detectarmos as coisas grandes, as realidades permanentes e eternas. Iluminados e fortificados pelo Espírito, podemos viver, na monotonia e na rotina do dia-a-dia, o mistério pascal de morte e vida. As grandes coisas que propusemos serão coisas grandes quando feitas com amor.

Topo