Paróquia São Roque promove o terço mariano online em tempos de pandemia

Na Paróquia São Roque de Coronel Vivida, município com cerca de 22 mil habitantes e localizado no sudoeste do Paraná, desde o primeiro Decreto Municipal (20 de março de 2020) de enfrentamento ao novo corona vírus, vem promovendo a devoção mariana online.

Inicialmente, o pároco começou a rezar o terço e transmitir pelo celular, da capela da casa paroquial. Naqueles quinze dias de lockdown (confinamento), às 15h ocorria o Terço da Misericórdia e às 18h o Terço Mariano. Cerca de 300 famílias rezavam juntas de suas casas. Vivia-se um tempo de desespero, angustia e solidão. Ninguém sabia o que fazer e o medo do futuro era tenebroso. A oração, então, vinha acalentar as mentes e os corações dos fiéis.

A partir das experiências das orações dos terços transmitidos pelas redes sociais as missas restritas da igreja matriz também passaram a ser online. A Pastoral da Comunicação se desdobrava com seus celulares e ajustes do áudio e enquadramento das imagens. Hoje as transmissões da matriz são realizadas por equipamentos profissionais e o terço mariano das 18h é motivado a partir das famílias da comunidade, que rezam de suas casas, utilizando-se do celular pelas redes sociais da paróquia. Sempre nas intenções das pessoas doentes e fragilizadas, suas famílias e pelos profissionais da saúde.

Alerta para o risco da fé “virtual”

Sabe-se que nestes tempos de pandemia a Pastoral da Comunicação ganhou destaque e devidos investimentos na Igreja Católica. Também é verdade que a fé cristã é vivida e celebrada na comunidade, mas as ações pastorais tiveram que ser adaptadas para continuar o acompanhando do alimento da fé, esperança e perseverança dos fiéis.

O Papa Francisco chamou atenção para o risco da fé “virtual”, em homilia proferida no dia 17 de abril de 2020, os discípulos cresceram na familiaridade com Cristo. “Essa mesma familiaridade deve crescer também em nós, mesmo que, no momento, esteja impedida em consequência da pandemia. Esteja atento para não viralizar a Igreja, para não viralizar os Sacramentos, para não viralizar o Povo de Deus”. E continuou o pontífice: “a Igreja, os Sacramentos, o Povo de Deus são concretos. É verdade que neste momento devemos ter esta familiaridade com o Senhor desse modo, mas para sair do túnel, não para permanecer aí”.

Ao mesmo tempo que o Papa aponta para a necessidade de adaptações, também chama atenção para o risco da fé “virtual”. A fé é viva e testemunhada na comunidade dos batizados. Acompanhe alguns testemunhos de fiéis da Paróquia São Roque.

Testemunhos do terço mariano

Para a catequista Edi Desconsi, o terço que acontece todos os dias online está sendo uma linda experiência de encontro com Deus e com os irmãos. “Nós redescobrimos o valor desta oração poderosa nestes tempos de pandemia. Normalmente aqui em casa a oração do terço não era feita diariamente, precisou que, um vírus silencioso e perigoso viesse para nós acordar, para abrir nossos olhos e coração para fazermos novamente estes encontros de orações pelo bem comum. A oração do terço nos aproxima de Jesus e nos salva. Eu tenho encontrado esperança para estes momentos de pandemia que o mundo está passando. Agradeço a Deus por ter a tecnologia a nosso favor para nos reunir-nos em oração com nossos irmãos, de perto e de longe. Fico muito feliz quando as pessoas participam das lives, fico emocionado de ouvir a voz das famílias que conduzem o terço, fico emocionada de ouvir os homens fazendo o terço, tudo e com todos por amor a Jesus e Maria”.

A ministra auxiliar da comunidade, Marines Poleto, conta que desde o início da pandemia foi convidada pelo padre Judinei a rezar o terço. “No primeiro momento tínhamos dois horários, o terço da Misericórdia e o terço Mariano. Hoje sinto gratidão a Deus por nossos encontros de oração mesmo virtual. Em tempo de pandemia e momento difícil para toda humanidade, é na oração que nos vem a força para superar a angústia, tristeza e o desespero. É a oração que nos motiva a fazermos o encontro pessoal com Cristo e com nossa Mãe Maria. Gratidão por estar em comunhão com os irmãos que nos ajudam com suas preces, pedidos e súplicas. E que Maria Santíssima interceda muita força e fé”.

Eliane Dala Pria também foi convidada a rezar o terço e disse sim de imediato. “O terço é para mim uma oração completa. Logo convidei o grupo dos Homens do Terço, que de imediato aceitaram. Assim todas as sextas-feiras nos juntamos com mais quatro homens na casa de um deles, e ali rezamos com muita devoção a Nossa Senhora com transmissão online. Hoje com muito trabalho na comunidade os deixei mais sozinhos, mas sempre estamos juntos em oração. Vejo neles muita fé com o rosário na mão. São tão fortes na oração do terço, que sinto que Maria Nossa Mãe sempre está tão perto que podemos sentir sua presença”, testemunhou.

Assim sendo, acredita-se que depois da pandemia a fé cultivada virtualmente possa tomar corpo na comunidade presencial, fortalecendo o corpo mítico de Jesus Cristo.

E na sua comunidade como estão cultivando a fé em tempos de pandemia?

Topo